www.ionapel.com

www.ionsl.com

 www.ionsl.es

www.ion.gal

www.ionlugo.es

La Chispa Gallega®

 

Pastores eléctricos

Cercos eléctricos  

Cercas eléctricas

Electrificadores de cercas

ION Aplicaciones Electrónicas®

Presentación del sitio Quiénes somos Temas de este sitio web Formulario para contactarnos Enlaces de interés Tarifa de precios Página de inicio

 

 

 

 

Videos:

Labranza tvg

tvg Premio

Otros temas:

Finca experimental de ION

Catálogo

Premio ION 

    

   

   Instalação de uma vedação eléctrica

     

 

 

Vedação básica para gado grande   Vedação básica para gado pequeno   Vedação básica com volta de terra por cabo

 

  Tipos de Cercas:

 

¡Puf! Antes comía maiz y patatas.

 

  •  Coloque postes à distância adequada, dependendo da consistência destes, das características do terreno e do tipo de cabo da cerca. Em caso que não sejam de material isolante, para uma vedação elemental, instalar um isolador pela parte interior a uns 85 cm. do chão se se trata de gado grande; e dois, a uns 25 e 50 cm. se se trata de gado pequeno. Em alguns casos, com certos animais, é necessária a instalação a mais linhas. Para cavalos, deve instalar-se um cabo sobre 80 cm. do solo e outro superior a uns 135 cm.

  •  Extenda entre eles um fio ou fita especial pára cercas eléctricas, arame galvanizado ou qualquer cabo condutor nu e tensione-o. Quanto maior seja o diâmetro, maior será a voltagem na vedação. Ponha especial cuidado em que esteja bem isolado, sem tocar ervas, árvores, etc. Não deve usar bocados de plásticos como isoladores e, de jeito nenhum, borrachas, como as procedentes de pneumáticos, pois são condutoras. Não é necessário fechar o circuito.

  •  No caso de que o terreno seja arenoso, rochoso ou esteja seco, se deverá melhorar a condutividade de forma artificial com um ou vários cabos de volta de terra sem isolamento nos postes, colocado pela parte inferior do arame "vivo" da vedação ou intercalados entre eles, se são variados. Estes cabos se conectarão ao sistema de tomada de terra do electrificador e a outras piquetas a cada uns 500 metros, tentando instalá-las nas zonas mais úmidas, fazendo uma tomada de terra única; se os postes da vedação são metálicos não é necessário instalar piquetas pois eles mesmos fazem de picas de terra (Fig.11). Desta forma, além de assegurar uma boa terra em todo o percurso, quando um animal faça "ponte" com seu corpo entre arames receberá toda a energia do electrificador. Para evitar possíveis perdas por indução não devem colocar-se demasiado próximos os cabos vivos e neutros. Esta operação também deve fazer-se quando a cerca se coloque na parte superior de muros, ainda que sem picas a terra. Se se instala sobre uma cerca metálica, esta também se conectará à tomada de terra.

  •  O electrificador, se é possível, deve colocar-se na zona mais úmida do percurso da vedação e, se não se fecha o circuito, tentar situá-lo para a parte central. Podem-se fazer quantas subdivisões ou derivações de uma vedação como se queira, mantendo sempre os cabos vivos bem isolados e os passos subterrâneos, se os há, construídos com cabo de alta voltagem (C-50). Os cabos elétricos normais não dispõem de isolamento suficiente para estes fins.

  •  Para aumentar a segurança e alongar a vida de uma vedação fixa convencional, evitando que os animais estejam tentando forçá-la continuamente, pode-se colocar um ou vários cabos eletrificados pela parte interior, melhor adiantados, aproveitando os postes existentes para instalar os isoladores que costumam usar-se com parafuso de 20 cm. de separação (A-200). Normalmente só se utiliza um poste de cada 2 ou 3, pondo especial cuidado em que os cabos não toquem nos que fiquem sem isoladores. Os arames ou malha metálica existentes devem unir-se à tomada de terra do electrificador. A vedação elétrica não sempre substitui à convencional, senão que muitas vezes se complementam. Olho, nenhuma malha metálica, porta, etc. pode-se eletrificar diretamente a não ser que se isole por completo.

  •  As ligações entre os cabos da cerca devem fazer-se de forma correta, para que não saltem faíscas que possam produzir interferências em sistemas de rádio e televisão, além de perder rendimento. Quando se usam fitas é conveniente uní-las com as bridas especiais (A-46 e A-48), pois asseguram um perfeito contato entre os fios. Em geral, quando se usem cabos de nylon, assegurar-se de que nos juntes os fios metálicos estejam bem unidos.

  •  Uma vedação eficaz deve ter 3 fios, o central sem isoladores, com sujeição convencional e conectado à tomada de terra do electrificador (Fig.11), isto é recomendável em caso de proteção de cultivos contra o javali e similares. Em caso de coelhos, o de terra deve ser o inferior. Existe a crença de que para o javali se precisam electrificadores de alta potência e, a prática demonstra, que com uma vedação bem instalada qualquer aparelho proporciona resultados satisfatórios.

  •  O cruzamento de cercas eléctricas com linhas de alta tensão deve ser evitado ao máximo. Se isto não é possível, o cruzamento sob a linha aérea deverá fazer-se em ângulo recto e o mais baixa possível. Não se deve pôr um cercado em paralelo junto às linhas aéreas de alta tensão de maneira prolongada (possível indução do fio da cerca). O espaço de segurança para linhas de alta tensão é de 5 metros por embaixo dos cabos e de 2 metros para linhas em media tensão.

  •  Não se deve montar nenhuma peça que pertença à instalação do cercado eléctrico nos postes de transporte de energia elétrica, nos de telefonia ou nos de outra cerca contígua. Ou regulamento obriga a deixar uma separação de dois metros entre cercas que não estejam alimentadas com o mesmo electrificador. Também não se pode conectar dois aparelhos ao mesmo cabo, pois se anulariam mutuamente.

  •  É obrigatório colocar cartazes de sinalização quando uma cerca esteja junto à via pública ou em zonas onde os residentes não conhecem o sistema (Em Espanha, Real Decreto 842/2002), um mínimo de um por cada alinhamento reto e a distâncias não superiores a 50 metros. Terão umas dimensões mínimas de 105 x 210 mm., de cor amarela com um triângulo negro, dentro do qual levará a inscrição CERCA ELÉCTRICA (A-44). Fora de Espanha o formato costuma ser diferente.

  •  Quando se usem electrificadores conectados à rede elétrica, principalmente, para evitar possíveis danos por descargas atmosféricas que pudessem entrar pelo cabo da vedação, deverá instalar-se o electrificador no exterior do edifício, afastado de materiais combustíveis e protegido da chuva. Também é conveniente instalar um derivador de raios (A-21)

  •  Com gado não vezeiro, nos primeiros momeAdiestramiento en el primer momento.ntos de uso, a regulação do electrificador (pastor) (se dispõe dela) deve fazer-se à máxima potência e conter as rêses pela parte exterior da vedação até que estas se inteirem de onde procedem as descargas. Todos os animais precisam de um pequeno adestramento.

  •   Para que um arambrado elétrico seja eficaz, a voltagem não deve ser inferior a 3.000 V. em nenhum ponto da vedação.

  •  Para localizar uma fuga dispondo de um voltímetro digital (A-19), deve começar a medir partindo do electrificador, a tensão irá baixando até o ponto da avaria, mantendo-se a partir desse ponto. Se não dispomos deste instrumento nem de outro como o C-12, apontamos alguns truques: Para saber se o cabo condutor está cortado, pode-se usar o clássico da erva, que consiste em tocar o fio com um extremo de uma folha verde e ir acercando até notar que há corrente; também se pode fincar o extremo de um cabo na terra e acercar o outro o arame para ver se salta faísca e, se os postes da vedação são metálicos, basta com fazer feriadão com um desandador entre estes e o cabo. Para detectar fugas ou maus contatos, acender uma rádio a bastante volume, em princípio, depois se irá baixando, em AM e fora da freqüência de emissoras, preferível na banda mais baixa e para a parte esquerda do dial, se ouvirá um estalo que irá subindo de intensidade à medida que nos acerquemos no ponto da avaria. Quando a vedação está em curto-circuito total (a terra), costuma passar em cercas com postes metálicos quando toca o cabo diretamente no ferro, se não se vê a avaria a simples vista não há outra solução que a de ir desconectando trechos cabo ou arame, até que por eliminação saibamos onde está a falha.

 

Revise a vedação periodicamente, mantenha-a limpa de ervas e arbustos e reponha os materiais deteriorados. Não se inteire de que não funciona quando tenham passado dias e seu gado esteja na herdade do vizinho.

 

Esquema básico:

Cerca básica con 2 cables vivos y 1 neutro.

Variantes:

 

Qué sosiego desde que nos instalaron la cerca eléctrica.

En pastoreo de vacuno adulto se suele instalar un solo cable.

 

Resígnate, aquí no se está mal.

Medidas aproximadas según que tipo de caballo.

 

No lo volvemos intentar, no.

Medidas orientativas dependiendo del tamaño del animal.

   

Quiero ir al huerto, quiero ir.........Serénate y come aquí. El huerto tiene cerca eléctrica.

Si el terreno es húmedo, los dos hilos pueden ser eléctricos.

No, no podemos pasar.

 

Cerca orientativa.

 

¿Será eléctrica, no será eléctrica?

No es eléctrica, vamos.

 

Esquema básico de cerca eléctrica para ganado

A vedação da figura 11 proporciona óptimos resultados, especialmente em terrenos pouco húmidos onde há que assegurar uma boa condutividade de terra (ver parágrafo 3º desta página). A altura e quantidade de arames da cerca depende do tipo de animais para a que vamos empregá-la; para veados podem ser necessários uns 5 e o superior a uns 140 cm. do solo; para javali, é boa a que aparece na figura; para gado bovino adulto, em terrenos húmidos, é suficiente um fio e uma só pica de terra.

As tomadas de terra devem colocar-se em terreno húmido e se não há humidade devem regar-se, ainda que não demasiado já que o água lava os sais condutores do solo. Dispomos de produtos para melhorar a condutividade do solo (ION-5).

O sistema de conexão a terra assegura a volta do impulso que passa pelo corpo do animal em caso de contato. A pica para tomada de terra que fornecemos com o electrificador é de fácil transporte e serve, ademais, de suporte do aparelho, em alguns casos, para instalações em terrenos húmidos e curtas distâncias; se não se dão estas condições, deverá construir-se uma tomada de terra com uma ou várias piquetas enterradas um mínimo de um metro e unidas entre si. (Fig.11)

 

Para comprovar se a tomada de terra desprende corrente, colocar uma mão na pica e outra na terra, mas melhor com um voltímetro digital (A-19). Neste caso a leitura não deve superar os 300V.

Quando a pica de terra desprende electricidede é sintoma de que a vedação está mal isolada e a tomada de terra é defeituosa. Para comprovar a tomada de terra, deixar cair ao solo a uns 20 m. do electrificador um bocado de arame e comprovar se há corrente na pica; se é assim, aprofundar mais ou fincar mais piquetas. Os tubos galvanizados dão bom resultado como tomadas de terra.

Olho com os passos subterrâneos

Nenhum cabo dos usados em instalações elétricas serve para construir passos sob terra ou colados a muros. Deve-se usar o C-50 de 20.000 V. de isolamento ou similar, como o das velas dos motores, e dentro de um tubo de plástico para que não se deteriore.

Duas formas de cruzar um caminho: qualquer cabo aéreo sobre isoladores ou cabo subterrâneo do tipo de alto isolamento.

 

Em resumo

Uma óptima vedação ELÉCTRICA deve estar desenhada para o tipo de animal a cercar ou repelir, dispor de ISOLADORES APROPRIADOS, Os CABOS DEVEM SER GORDOS (reservar os de nylon pára cercas móveis e curtas) e, sobretudo, que A TOMADA DE TERRA ESTEJA BEM CONSTRUÍDA.

      

Para mais informação, em links/enlaces, conferir: A tomada de terra e outro artigos sobre construção e manejo de cercas elétricas

 

 

Observamos o esquema da figura 11 levado à prática. À esquerda vemos a ponte de arame entre a linha superior e a inferior, isoladores AL-4 e conjuntos de porta MM-3. Na porta se deixou só os dois cabos vivos, passando sob terra o arame neutro junto com o cabo de alto isolamento C-50 que une os dois laterais para que não se corte o circuito quando esteja aberta. (Construída por alunos da Escola de Alta Montanha da Xunta de Galiza em Becerreá)

 

O nosso gado está muito zangado com os pastores ION

 e não lhe falta razão.

Outras marcas ainda lhe permitem sair de vez em quando

 mas com ION já levam 40 anos a cerca soportando.

 

Electrificadores | Controles y Mandos | Aisladores  | Cables y accesorios de unión | PortacablesPostes Portátiles | Comprobadores

Accesorios y Repuestos | Instalación de cercas | Pilas y Baterías | Energía solar y eólica | Antifuga caracoles | Varios | Normativa

Garantía y Calidad | Otros usos del pastor | Ventajas de la cerca eléctrica | Precios | Enlaces de interés | Editorial | Historial  Página de inicio Inicio

Copyright © 2001 ION Aplicaciones Electrónicas ®